Review – Lover Pretend (Análise sem spoilers)

Ueda Chiyuki possui dois sonhos: se tornar uma roteirista e descobrir quem é seu pai. Quando uma proposta de emprego promete entregar esses dois sonhos juntos, ela não toma outra decisão a não ser aceitar o trabalho. Mas será que ela vai conseguir se manter focada, ou o cast cheio de homens bonitos e interessantes irão distrair ela do seu principal objetivo? Leia a análise a seguir para descobrir!

Se você quer saber mais a respeito da sinopse e personagens, confira primeiro nosso post Lover Pretend – História, personagens e franquia para se ambientar melhor. Essa análise tomará como base que você tenha ciência dos detalhes apresentados no post mencionado.

Avisos:

  • Este post contém apenas spoilers leves! As rotas e personagens serão comentados de uma maneira que evite spoilers. As CGs utilizadas são as mesmas usadas no site oficial e/ou na abertura.

  • Este texto contém opiniões pessoais e não reflete necessariamente a visão de todas as integrantes do Otomices

Guia e acesso rápido aos tópicos:

Ficha Técnica

Lover Pretend
Título Original: Lover Pretend
Tipo:
Otome Game
Plataforma: Nintendo Switch
Data de Lançamento original: 25/03/2021
Data de Lançamento em inglês: 01/12/2022
Desenvolvedora: Design Factory Co., Ltd. e Otomate
Publicadoras: Idea Factory Co., Ltd. (JP) / Aksys Games (EN)
Roteirista: Misaki Kanan
Character designer e artista: Fuji Rito
Artista encarregado pelos chibis: Natsume Uta
Diretor: Aoki Hiroe
Classificação etária: Teen
Site Oficial (JP) | Site Oficial (EN) | Opening | Post conheça com guia de rotas 

Chiyuki é uma jovem esforçada, que se dedica de corpo e alma para realizar seu sonho de ser uma roteirista. Mesmo com todas as dificuldades em sua vida, ela nunca deixou de olhar para o futuro. Porém uma dúvida sempre assombrou seu coração… Afinal, quem seria o seu pai? Quando criança, sua mãe se recusava a contar a verdade, que assim nunca veio à tona porque a mesma faleceu. Enquanto estava no leito de cama, sua avó conta uma informação importante: é provável que a Chiyuki seja filha de algum membro do cast de Pretend to Love, o único filme que sua mãe trabalhou na vida.

Anos mais tarde, Eiichirou, seu professor e mentor, propõe a Chiyuki a trabalhar com ele, auxiliando-o na produção de um roteiro para um filme novo. Ao analisar aquilo proposto, ela percebe que o cast desse filme e do filme que a mãe fizera eram similares! Ela teria contato direto com pessoas que poderiam ser seu pai ou filhos de possíveis suspeitos. Ansiosa, ela aceita o trabalho e começa a viver o verão que mudaria sua vida para sempre.

Personagens

Ueda Chiyuki (protagonista)

Chiyuki é uma garota determinada, que nunca perdeu o foco e continua a seguir seu sonho diariamente. Mesmo com todas as dificuldades, se virando em trabalhos de meio período para sobreviver, ela continua sendo gentil, doce e querida por aqueles à sua volta. Por conta dos traumas, nunca se apaixonou e tem receio em se aproximar dos homens, achando que vai ser abandonada em algum momento.

Quando percebe a oportunidade que a vida a deu, ela fica receosa sobre se deveria ou não investigar o paradeiro do seu verdadeiro pai. Quando ia desistir, recebe um empurrão de seu melhor amigo, Kazuma, e topa aceitar o trabalho. Quando se deu por si, Chiyuki criou incríveis memórias nessa experiência, que a levam a crescer mais e mais tanto profissionalmente, como também como pessoa.

Kamikubo Kazuma (CV: Furukawa Makoto)

Kazuma é o melhor amigo da Chiyuki, sendo que ambos se conhecem desde o ensino fundamental. Ele é um cara super animado e alto astral, que impulsionado pela determinação da Chiyuki, decide também seguir seu próprio sonho de ser um maquiador e estilista profissional. Como a indústria é pequena, acaba que participa também da produção do mesmo filme, e aproveita para ajudar a Chiyuki na investigação do passado da mãe dela. Em um certo momento, ambos pretendem ser namorados para poderem tirar a protagonista de uma certa encrenca.

A rota do Kazuma é uma grande salada mista, no mau sentido. Parece que não sabiam o que fazer nela, então jogaram todo tipo de clichê possível, beirando perto do ridículo. O rapaz também não encanta: quando não está falando absurdamente alto, ele acaba fazendo bobagens e metendo os pés pelas mãos. Foi a rota que menos gostei e felizmente foi a primeira rota que fiz, o que me livrou de ter que lidar com ele no meio do jogo. Depois de ter tirado ele do caminho, o nível do jogo melhora muito.

Makino Harumi (CV: Kawanishi Kengo)

Harumi é filho do diretor do filme, uma das pessoas que a Chiyuki suspeita que seja seu pai. É um rapaz sério, que tenta não se misturar muito com os outros e se frustra com facilidade. Não tem interesse em filmes, mas ainda assim participa do cast como assistente pois seu pai o obrigou. Em um certo momento, a Chiyuki descobre que ele é um otaku e ajuda o menino a superar sua timidez, o acompanhando em eventos e afins. Ao ser reconhecido na rua, acaba ficando desesperado e conta a mentira falando que a Chiyuki é sua namorada e que ele só está acompanhando ela no hobby.

Sua rota é uma graça, que fica mil vezes melhor quando vem depois da rota do Kazuma. Quando finalmente se solta, o Harumi se mostra ser um rapaz atencioso e sincero, tendo uma química muito gostosa com a Chiyuki, que tenta entender todo o universo otaku que ele ama. Os empecilhos com suas inseguranças são resolvidos e no final da rota vemos um grande amadurecimento do rapaz. Ambos seus finais são muito fofos, dando um destaque especial pro good ending: temos um timeskip e vemos como o rapaz fica mais velho!

Sena Yukito (CV: Suzuki Tatsuhisa)

Yukito é um modelo profissional, sendo o mais famoso da área atualmente. Gosta de paquerar e flertar com qualquer garota, mas não deixa de ser responsável com sua carreira e sabe como se comportar naqueles momentos que precisam de mais seriedade. É filho do produtor do filme que a mãe da Chiyuki trabalhou, mas não costuma falar muito sobre ele. Está tentando participar do cast como ator, mesmo que não tenha experiência na área.

Em sua rota, a Chiyuki o ajuda fingindo ser sua namorada para que uma certa garota pare de tentar ter um caso com ele. Mesmo assim, o Yukito é bem resolvido e, na realidade, ajuda a própria Chiyuki a crescer como pessoa e superar todos seus traumas. É algo completamente novo! Geralmente, nos otoges, vemos a protagonista curar o coração do rapaz e não o contrário. Com todo o desenvolvimento linear, a rota flui super bem, junto com um romance delicioso de se ler. Além disso, a gente vê o Yukito fazendo foto gravure, algo que eu nunca tinha visto rolar em otome games! E o CG do happy ending? Um tesão, fiquei de cara.

Nishijima Riku (CV: Maeno Tomoaki)

Riku é um ator renomado no ramo, super elogiado pela sua atuação e profissionalismo durante as gravações. Mesmo assim, possui um ar de desinteresse, que o separa dos demais e faz ele se isolar um pouco. É filho do principal ator de Pretend to Love, mas claramente se percebe que o rapaz possui muitos conflitos com o pai. Ao perceber que a Chiyuki não possui segundas intenções com ele, acaba ficando mais à vontade em mostrar sua verdadeira faceta para a jovem.

A rota do Riku tem tudo que eu gosto. Rapaz bonito, salafrário e ainda por cima é dublado pelo meu dublador favorito, o Maeno. Possuo algumas realças sobre seu comportamento, mas consigo entender suas escolhas, ainda mais quando colocado numa saia justa como tem sido posto por toda sua vida, por culpa de seu pai. A princípio, ambos fingem serem noivos por interesse mútuo, mas que vão se apaixonando lentamente um pelo o outro. Ver o Riku se libertando de suas correntes e ficando mais à vontade consigo mesmo foi um charme que o fez ser a rota favorita das japonesas. Além de ser um rapaz muito bonito, salafrário e dublado pelo Maeno (teehee?).

Asagi Eiichirou (CV: Morikawa Toshiyuki)

Eiichirou é professor e mentor da Chiyuki na faculdade. É prestativo e se sente confortável na presença da protagonista. Quando percebeu, já estava apaixonado por ela, mas para não parecer que estava abusando de sua posição, decide guardar consigo mesmo seus sentimentos. Durante a rota comum, se descobre que a mãe da Chiyuki foi assistente do pai do Eiichirou, deixando a protagonista extremamente abalada com o pensamento de possivelmente ser irmã do professor que ela tanto admira. Todavia, ao conversarem, ele revela que é impossível isso porque seu pai não estava no Japão quando aconteceu as gravações de Pretend to Love, o que leva a Chiyuki a estaca zero de novo.

A sua rota é trancada e só é liberada após você fazer todas as outras rotas antes. Para mim, o Asagi-sensei possui vários charmes que me conquistaram e não consigo julgar ele por suas escolhas. Felizmente, no good ending tudo acaba bem, mesmo que seja até clichê a conclusão. Também acho que o romance fluiu bem e que ambos tinham uma ótima química, como é de praxe nas rotas trancadas terem aquele sentimento de realmente serem as rotas verdadeiras do jogo. Terminei o jogo me sentindo satisfeita com a leitura e com todo o desenvolvimento da Chiyuki.

História

Lover Pretend tem tudo para ser adaptado em um dorama. A história é redondinha e consigo ver fluindo bem nas telinhas. Tem romance, companheirismo, mistério, tretas e desavenças, tudo acompanhado por uma simples garota que encanta todos ao seu redor. Contudo, se já é difícil vermos uma adaptação em anime de otome games, imagine só uma adaptação em filme ou dorama. É claro que um pode sonhar, e é exatamente isso que eu faço.

Para o máximo do aproveitamento, você realmente precisa ler a VN inteira. O desfecho da história da Chiyuki realmente só vem na última rota, porque nas anteriores você só vai pelo método da eliminação. E apesar do mistério, eu consegui adivinhar quem era o pai da protagonista na minha primeira jogatina, ainda durante a rota comum! Vou fingir que sou a gênia da leitura ao invés de achar que foi fácil de descobrir, haha.

Arte

A arte de Lover Pretend é bem delicada, com um filtro mais frio. Passa uma sensação de aconchego, que combina bem com o clima todo da visual novel. Tudo é baseado no dia-a-dia comum, então não fugimos do padrão da normalidade. Roupas comuns, cores de cabelos “normais”, cenários que podemos ver a qualquer momento. Tudo complementa bem o clima que o jogo deseja passar de parecer um dorama ou filme de romance.

Os cenários possuem a estética adequada para cada cena em qual foi aplicado, com seus detalhes trabalhos sem passarem do aceitável. Deu para ver que tomaram como inspiração vários lugares do Japão, assim como aquilo que se diz a respeito de sua cultura. Tudo foi feito para que se encaixasse perfeitamente, dando para perceber o carinho que a equipe tinha pelo o projeto.

Também preciso dar um grande destaque para as animações que Lover Pretend possui. Elas são encantadoras e deram um charme maior ainda, intensificando todo o clima de “Isso é um dorama” que a VN possui. Não lembro de ter lido um otoge tão bem trabalhado assim antes… Cada cena me deixava com a boca mais aberta que antes. Combinadas com as melodias, tudo ficou super bem encaixado e trazendo uma sensação ainda maior de imersão. E claro, dependendo do contexto, também deixava tudo mais emocionante. Deixo a seguir vídeos de algumas das minhas cenas favoritas!

Música e Dublagem

Todo mundo sabe que eu amo uma trilha sonora e dessa vez não foi diferente. Lover Pretend entrega tudo na sonoplastia, que foi perfeita em auxiliar toda a sensação de estar assistindo um dorama. Toda a melodia é gentil e calorosa, como se você estivesse sendo abraçada por ela. Cada momento foi complementado com a trilha sonora ideal, perfeita para aquela cena.

O time de dublagem é redondinho, com nomes super capazes que dão um show no ramo. O otoge também ganha pontos extras por ter o Maeno Tomoaki no cast, porque ele é meu dublador favorito de todos os tempos. Mesmo que eu seja a favor de inovação nos casts, quando se trata do Maeno, eu sou a favor da tradição e modernidade, ehehe.

Sistema, Interface e Tradução

Tudo, eu digo, t-u-d-o da interface de Lover Pretend grita ser uma obra de romance focada em gravações de filmes. Ela é super trabalhada e bem estética. Eu, particularmente, amei cada cantinho que eu fuxiquei dela, e acreditem, eu tentei fuxicar tudo. Na tela inicial, cada vez que você vai nela aparece um rapaz aleatório, incluindo o professor (mas este só começa a aparecer após você liberar o acesso a sua rota).

O jogo possui vários extras, divididos em sub categorias. Estes remetam pastas de arquivos numa produção. Lá você consegue ver o álbum de CGs, escutar toda a trilha sonora do jogo e ver cada encerramento, ler back stages (histórias extras com direito a CGs adicionais), dicionário que auxilia na leitura do jogo e o perfil de cada interesse amoroso.

No Back Stage, os cenários apresentados são variados. Pode ser um momento divertido ou o ponto de vista do rapaz durante um momento específico da rota. Elas dão uma complementação bacana para cada rota e são um must se você deseja completar a galeria de imagens.

Na aba de perfil, você vê a ficha técnica de cada rapaz, como idade, tipo sanguíneo, hobbies, habilidades, a lista é gigante. E mais! Tudo é dublado, é só você selecionar o que quer escutar e dar o ok que o aúdio começa a tocar. A Aksys fez o grande favor de traduzir todas as falas simultaneamente, o que só deixou o trabalho mais refinado e admirável.

Durante a jogatina, você pode checar o seu status entre os rapazes. Ao fazer uma escolha, terá um sinal visual na tela, mostrando se você escolheu corretamente ou não. Tudo isso auxilia você a chegar no happy ending de cada rota com facilidade.

Também temos um mini-game durante as rotas, que se chama Pretend Time. É basicamente um segmento onde você tem que responder adequadamente a várias perguntas em um tempo restrito, senão, pode te levar a quebra de confiança entre os personagens principais. Apesar de ter um contador, não é tão assustador quanto parece ser e dá um toque divertido para o jogo. Mas, se você não gostar dele, há nas opções a escolha de desativar esse modo e deixar tudo o mais linear possível. Eu, como gosto de desafios, deixei tudo da forma original e só mergulhei de cabeça.

E claro, não podemos esquecer de citar o Chapter Jump que o jogo tem. Lá, você pode ver um resumo de cada capítulo e escolher para onde você quer ir, além de poder configurar os seu status romântico com o rapaz de sua preferência. Também temos uma aba dedicada a cada final que os rapazes têm, que não coloquei como print aqui para não correr o risco de spoilar você, cara otomete.

E como padrão, Lover Pretend também possui o comando de pular o texto até a próxima escolha ou trecho não lido. Esse é o mimo que a Otomate anda dando para nós, otogers, nos últimos lançamentos!

Biases

Definir quem foi meu favorito em Lover Pretend foi uma tarefa complicada, senão a pior de toda essa review. Depois de refletir bastante, cheguei a conclusão que o Riku foi meu rapaz favorito, mesmo que eu tenha amado a rota do Yukito e o Asagi-sensei ter me encantado também.

A sua rota entrega tudo que um dorama poderia entregar, com todos os momentos de romance, jogatina e desenvolvimento dos personagens. Tudo fluiu muito bem e a forma que o Riku se comporta adiciona todo o extra. Seus CGs são muito bonitos, além da ótima dublagem que o Maeno faz.

Além disso, o grande gap que o Riku tem da versão nas telinhas e em off é um charme. Apesar de parecer despretensioso à primeira vista, ele sem dúvida vai conquistando seu coração. Você termina a rota dele desejando que tudo dê certo nessa nova caminhada da vida dele, acompanhado da Chiyuki.

Conclusão

Eu fiquei encantada ao ler Lover Pretend, toda sua produção foi feita com planejamento e cuidado. O otoge entregou tudo que eu gosto, que é romance na medida certa, com uma trilha sonora agradável e uma arte lindíssima. Fiquei triste quando eu terminei, mas foi porque não tinha mais nada para ler no jogo… Me dá um fandisk aí, Otomate!

Brincadeiras à parte, porque não acho que tem espaço para um fandisk, já que a VN é completinha e entrega tudo em cada rota. Enfim, se você gosta de mangás shoujo, doramas japoneses e coreanos, romance na sua mais pura essência, só vai fundo em Lover Pretend. Eu garanto que você irá gostar da história e terminará tão satisfeita quanto eu saí lendo essa obra <3

Nota geral: 8.0

Thanks to Aksys Games for supporting our job! <3

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s